Arquivo da categoria: Coerência

Atualizações sobre o trabalho do Laboratório de Inclusão

Seria um imenso prazer nosso, do Laboratório de Inclusão, informar que a pandemia acabou e que retornaríamos normalmente com todas as nossas atividades. Seria. Infelizmente, ainda nos encontramos em tal estado de saúde pública, com o Ceará ainda apontando em alta nos casos de infecção, apesar de termos já uma boa melhora, em comparação aos meses anteriores.

Deste modo, seguindo ainda instruções de decreto estadual e orientações do Governo do Estado, informamos que ainda nos encontramos predominantemente em home office. Em nosso setor, ainda NÃO estamos realizando nenhum tipo de atendimento presencial, nos limitando somente aos atendimentos eletrônicos, via e-mail (labdeinclusao@gmail.com) ou via telefone (3101.2123 / 3101.4583).

Sobre nossos estágios curriculares obrigatórios e realizações de trabalhos acadêmicos em unidades desta Secretaria, também ainda NÃO estamos realizando nenhum encaminhamento. Nossas unidades, em sua maioria, abriga pessoas em alta vulnerabilidade social, estando entre estas, também, muitas pessoas que estão no grupo de risco de contaminação do Covid-19. Logo, esta nossa ação visa, acima de tudo, o menor risco para os nossos acolhidos e usuários.

Sobre nosso processo seletivo para estágio universitário bolsista em nossa Secretaria (processo este pausado desde o dia 16/03/2020), ainda não temos previsão sobre o mesmo. Estamos aguardando o retorno da normalidade dos serviços do Governo para darmos reposta aos candidatos e a quem mais interessar. De antemão, avisamos a todos que aguardem maiores notícias. Publicaremos amplamente em nossas mídias todas as atualizações, assim como também entraremos em contato com os estudantes em processo de entrevista.

Sobre nossos encaminhamentos para o mercado de trabalho, estamos realizando todos de forma virtual, de acordo com a demanda das empresas que entram em contato conosco.

Sobre nossos eventos, nossas oficinas e grupos de estudo, continuam todas temporariamente suspensas.

Pedimos a compreensão de todos para esta nossa situação. Tudo isto é temporário! Esperamos, em breve, retornarmos com todas as nossas atividades normalmente. Precisamos, neste momento, pensar no que há de mais importante: em salvar vidas! Diminuir o contágio é dever de todos nós! Contamos com a colaboração de todos.

O Laboratório de Inclusão vem a público se posicionar diante da pandemia Covid-19

coronavirus-pandemia

Vivemos tempos difíceis. Estamos enfrentando um perigo real e invisível, capaz de abreviar nossas vidas. Em momentos assim, nossa força, esperança e cuidado mútuo devem sempre prevalecer. Deste modo, anunciamos que, seguindo medidas decretadas pelo o Governo do Ceará, ainda nos encontramos em estado de isolamento social. Assim, nossas atividades ainda encontram-se em suspenso.

Porém, apesar de todos os transtornos, nosso trabalho e ideologia social continuam firmes e prósperas. Nossa equipe encontra-se em home office, trabalhando de casa, em constantes reuniões virtuais. Utilizamos nossas ferramentas para executar demandas possíveis, e nos preparar paras as atividades presenciais que virão. Nossa organização está sendo moldada à essa nova realidade instável e momentânea, e o nosso desempenho vem sendo regrado pelas notícias e ofícios diários.

Aos nossos candidatos no processo seletivo para estágio universitário, informamos que não temos previsão para o retorno de nossas entrevistas. Todo este processo seletivo encontra-se de sobreaviso. Pedimos que fiquem sempre atentos às nossas mídias, pois quaisquer notícias e alterações serão brevemente divulgadas.

Aos nossos trabalhadores incluídos, queremos dizer: Não se preocupem! Vocês sabem que o Laboratório de Inclusão está e sempre esteve do lado de vocês. Isso tudo é só uma fase, e logo estaremos de volta, juntos, fazendo o que sabemos fazer de melhor.

Ao nosso público, pedimos que sigam as nossas instruções. Estamos em comunicação próxima, através de nossos contatos. E a nossa maior recomendação é: Fiquem em casa! Quaisquer alterações em nossas rotinas, atividades ou demandas, entraremos em contato direto e pessoal, quando necessário. Assim como também estamos disponíveis para responder quaisquer dúvidas ou questionamentos.

Diante de tal cenário, o que mais vale é o zelo que devemos ter pelas vidas, por todas as vidas. Estamos trabalhando em casa, por nós e por vocês. Quem puder, fique em casa também. Toda nossa sociedade está enfrentando uma luta árdua, em que muitos sairão prejudicados, de diversas formas. Porém, devemos ter em mente que, neste momento, só há um ponto relevante: a vida! Seguiremos dessa forma, então. Avante em nossa luta social, com a certeza de um amanhã mais proveitoso, feliz e cheio de abraços e afetos.

Não se auto sabote

por Márcio Vaz
palestrante, psicólogo e coach

unnamed

Muitas pessoas desistem dos seus sonhos porque um dia se iludiram que seria fácil conquistá-los. Foram desiludidas não pela realidade, mas sim, por suas falsas expectativas. Sonharam com a carreira meteórica, o sucesso imediato, o príncipe ou a princesa encantada, porém, caíram do cavalo, quando descobriram que, na maioria das vezes, a fábula era invertida, pois começaram a beijar o príncipe que com o tempo se tornou sapo (Vice-versa).

Não quero dizer aqui, que devemos parar de sonhar ou sonhar pequeno, pelo contrário, pois como bem disse Jorge Paulo Lemann: “Sonhar grande ou sonhar pequeno dá o mesmo trabalho”. Logo, podemos sonhar grande, mas devemos iniciar com pequenos passos e valorizar cada pequena conquista, porque a vida não é uma corrida de 100 metros para que o resultado seja imediato, e sim uma maratona que requer paciência, determinação, preparação e persistência até ter seu percurso concluído.

Eu a exemplo, sonho com o TOPO da montanha. Porém, se no decorrer da minha existência, eu só chegar no meio, em vez de olhar para cima e reclamar por não ter alcançado o cume, vou olhar para baixo e agradecer pelo tanto que caminhei. Até porque, o risco de sonhar pequeno é alcançar nosso objetivo e viver na mediocridade perdendo a oportunidade de ter ido mais longe. (Pensamento relativo e subjetivo)

Por isso, não se engane. Acredite, se a sua caminhada não está fácil, é porque você deve estar no caminho certo, uma vez que todo desconforto nos tira da nossa zona de conforto, da mesmice, prenunciando que vem algo novo. E esse novo sinaliza que você está em movimento, em busca dos seus sonhos, só ainda não compreendeu que, entre o plantar e colher, existe o regar e esperar. Nesse sentido, não acelere ou atropele os processos, pois pode vir a jogar tudo a perder.

Também não questione tanto ou se revolte com os porquês dos acontecimentos e das dificuldades, pois certas respostas só vêm com o tempo. Em certa fase da minha vida pós acidente, em que me tornei 100% dependente, eu também questionei o fato dos meus familiares terem adoecido, como se já não bastasse EU. Para mim, tornou-se o caos, depender, “sem ter” quem cuidasse de mim. Porém, só anos depois eu descobri, que por não ter quem cuidasse de mim, foi que eu me cuidei, por não ter quem me virasse na cama, foi que eu me virei.

Ou seja, às vezes precisamos saber tirar proveito de uma desgraça e não deixar-se ser vencido por ela, porque nada é em vão, ou é benção ou é lição, ocorrendo muitas vezes não para nos PARALISAR, mas sim, para nos IMPULSIONAR na vida, pois se meus pais fossem saudáveis, dificilmente você estaria lendo esse texto ou eu teria dado a volta por cima me tornando o provedor da família. Provavelmente eu permaneceria na cama sem acreditar e prover uma vida diferente. Desse modo, reflita se a sua tragédia ou má fase, na verdade, não está querendo lhe dizer ou convidar para algo maior.

Caso você discorde do meu pensamento, não há problema algum, só não RECLAME – porque não vai adiantar. Mesmo porque, se reclamar resolvesse, eu reclamaria todo dia até voltar a andar. Além disso, reflita novamente, que o prefixo RE corresponde a intensidade e repetição, ou seja, o ato de “REvisitar” significa (visitar 2 vezes), REprovar de ano (fazê-lo novamente), REpensar (pensar profundamente) etc. Logo, REclamar, é CLAMAR por algo intensamente, porém, como toda reclamação é sobre algo ruim, estaremos clamando e suplicando pela permanência ou agravamento de uma má fase e/ou dificuldade.

Entenda, ninguém disse que seria fácil ou imediato. Persista e faça acontecer porque a vida é muito CURTA para ser desperdiçada. Afinal, a moeda mais cara que temos no universo, é a do tempo, pois tem muita gente moribunda que pagaria uma verdadeira fortuna para ter a sua saúde e mais alguns dias de vida para poder curtir a família, uma viagem, uma boa comida ou uma infinidade de possibilidades que o dinheiro não compra, mas que nos são caras.

Enfim, seja grato todo dia, pois assim como tem gente reclamando porque acorda cedo, tem os que agradecem pelo simples fato de acordar. Uma dádiva que pertence a todos os que estão podendo ler este texto, pois enquanto há vida, existe esperança e a oportunidade de mudarmos a rota da nossa existência. Dando a ela sentido e significado para a construção de um legado.

Afinal, vivemos em um universo de possibilidades que, embora nem sempre seja fácil, são nas dificuldades que tiramos os melhores aprendizados. Acredito que um dia estaremos todos velhinhos e viveremos a contar histórias. A questão é: Qual história você quer contar sobre a sua vida?

Saiba que serão os maiores perrengues que teremos o maior orgulho de contar, porque tudo que passou, tornou-se superação uma vez que você continua vivo. Por isso, reescreva copiosamente e conscientemente a sua trajetória, pois segundo Santo Agostinho: O PASSADO é memória e o FUTURO inexistente, logo só nos resta o PRESENTE para fazermos história.

Não RECLAME ou DESISTA – viva o AGORA e faça a DIFERENÇA na sua VIDA. Creia que dias melhores virão, já que não há nenhum mal que perdure para sempre. Lembre-se que tudo é passageiro e, por vezes, não são as circunstancias que precisam mudar, mas sim, a nossa forma de agir e enxergar a vida. Desse modo, simplesmente prossiga… deixe que o tempo esclareça a questão dos porquês e do que há de SER.

Siga na direção correta

por Márcio Vaz
palestrante, psicólogo e coach

unnamed

A vida é cíclica, tudo gira, nada é estável. Logo, se você estiver enfrentando uma dificuldade, SE ACALME, porque irá passar. Assim como, se você estiver atravessando uma boa fase, APROVEITA, porque também irá passar.

No entanto, saiba que o seu presente é fruto das suas ações passadas e que, o seu futuro, dependerá das suas ações presentes. Por isso, se você acredita na lei de causa e efeito, em que tudo volta, CUIDADO, pois o que você planta hoje irá lhe CONFORTAR ou ASSOMBRAR amanhã.

Reflita, o que você tem plantado? Faça o que precisa ser feito para que o seu sonho seja realizado. Pare de QUERER e comece a FAZER. Porém, antes de planejar o COMO você vai alcançar seu sonho, preocupe-se mais em ter clareza sobre O QUE você quer verdadeiramente para sua vida. Pois de nada adianta o AGIR se a DIREÇÃO estiver errada.

Sendo assim, ajuste seu rumo, porque uma vez na direção correta, cedo ou tarde, a vitória é certa. Afinal, na vida pessoal, o Faixa Preta é o Faixa Branca que não desistiu e continuou treinando. Já no universo corporativo, a Grande Empresa é a Pequena que persistiu e fez a coisa certa. Em ambos os casos, tudo se resume numa questão de tempo, persistência e preparo.

Enfim, o plantio é opcional, mas a colheita é inevitável. Ninguém planta feijão e colhe milho. Desse modo, empregue sua cota de sacrifício e cultive o mérito dos seus esforços. No final, todos nós iremos cruzar a nossa linha de chegada, mas só irá festejar quem percorreu a trilha certa de forma correta.

Pense nisso.

Aprendemos pelo amor ou pela dor

por Márcio Vaz
palestrante, psicólogo e coach

unnamed

Corroboro piamente com esse conceito de que podemos tirar proveito de tudo. Trata-se da sábia filosofia de se aprender pela dor ou pelo amor. Lógico que, se pudermos optar, iremos escapar do sofrimento para aprendermos pelos exemplos de acertos e erros dos outros. Porém, como nem tudo está sob o nosso controle, teremos que enfrentar inúmeros dilemas e desafios, tanto pessoais, quanto profissionais.

No entanto, vivemos numa cultura de aparências em que mascaramos nossas fraquezas e abominamos nossos fracassos – por entender que é feio errar e/ou fraquejar. Nesse sentido, as PESSOAS passam a se APRESENTAR FORTES e BEM SUCEDIDAS, mas é no refúgio dos seus lares que tendem a encarar a triste realidade de que são igualmente vulneráveis.

Por conta disso, passamos a acreditar que somos uma fraude e começamos a seguir outras personalidades que, aparentemente, também se mostram como exemplos da tal alta performance que tanto queremos alcançar. São os vulgos – Picas das Galáxias, que se dizem felizes em todos os pilares da vida, gerando, às vezes, altas expectativas que podem desencadear sérios níveis de frustração na mente de muitos dos que os seguem e não conseguem alcançar os mesmos resultados. Por isso, vivemos na Era dos empreendedores de palco, em que o produto mais vendido tem sido a ESPERANÇA.

Eu, particularmente, evito eleger padrões e modelos a serem seguidos, pois acredito que o que nos torna especiais e únicos são as nossas diferenças. Penso igualmente, que o que nos faz fortes, não são os exemplos de alta performance, mas sim, o enfrentamento dos nossos tormentos. Até porque, não existem modelos de perfeição absoluta. Posso ser um excelente exemplo de profissional, mas um péssimo pai, marido ou filho.

Portanto, pense nisso, não precisamos ser ou ter heróis a nos ajudar, basta nos concebermos simplesmente humanos e aprender a performar entre altos e baixos. Afinal, não vejo nada de mal em fraquejarmos ou fracassarmos, pelo contrário, enxergo nas derrotas, uma excelente oportunidade de aprendizado, onde passamos a ser verdadeiros exemplos, quando compreendidos como normais, sem tanto distanciamento dos demais.

Então, não queira aparentar ou se tornar algo tão fora do normal, porque o maior bem que você pode transferir para alguém – é o seu CAPITAL de EXPERIÊNCIA – que é composto por muitas vitórias, mas também inúmeras derrotas, dores, fracassos, lágrimas, fraquezas, desistências etc. Logo, compreenda, que ao nos apresentarmos plenos perante aos outros, por vezes, nós os apequenamos ou geramos a falsa expectativa de uma perfeição inalcançável.

Assim sendo, passemos uma ideia de igualdade, em vez de superioridade, para evitarmos levar a estranha sensação de inferioridade. Não dá para ser estável toda vida, uma vez que nossos dias são inconstantes e cheios de variáveis. Um dia ganho e no outro perco, mas o importante é compreender que em ambos eu aprendo.

Só com uma cultura que aceita a fraqueza e confronta o fracasso é que iremos aproveitar o verdadeiro processo de aprendizado, como um movimento concreto de transformação. Até porque, nem só de teoria vive o “homem/mulher”, temos que enfrentar nossos medos e desafios, para domarmos nossos leões internos que rugem por mudanças.

Por isso, PRATIQUE mais a sua CORAGEM e menos a sua IDOLATRIA, pois, ensinar, todos nos ensinam, sejam com exemplos louváveis ou deploráveis. Ou seja, quando alguém faz algo que admiro, eu reproduzo e copio, mas, quando fazem algo que condeno, aprendo ao não reproduzir o mesmo erro. Porém, esteja sempre atento(a) e aberto(a) ao autoconhecimento, porque tem gente que condena certos comportamentos que pratica.

Enfim, seja protagonista da sua vida. Não procure fórmulas mágicas baseadas em 7 passos. Encontre apenas soluções para os seus problemas enfrentado seus medos sem ter receio de errar, falhar ou preocupado com que os outros vão pensar. Vivemos atualmente, o maior paradigma da natureza humana. Pois, pela lógica natural da vida, nascemos para nos tornarmos independentes. No entanto, nunca estivemos tão dependentes de gurus, padrões e modelos que norteiem nossos sonhos e passos.

Lembre-se, olhe para onde todo mundo está olhando, mas enxergue o que poucos estão enxergando. Se conscientize e acredite mais em você, para aprender diariamente com a Faculdade da VIDA.